ESCULTURA DE SÃO PEDRO - SÉCULO XVI

Data da notícia: 27, Maio 2020

ESCULTURA DE SÃO PEDRO - SÉCULO XVI

Nascer e viver à sombra do Mosteiro criou na Batalha laços de forte dependência social da Igreja. Foi sob a orientação da ordem dominicana, responsável pelo convento, que a comunidade batalhense deu os seus primeiros passos. 

As comunidades religiosas eram estruturas poderosas com capacidade para gerir a sociedade e partilhavam com a coroa tarefas fundamentais de organização, educação e saúde. Na Batalha, como em Alcobaça, os religiosos foram os verdadeiros dirigentes da comunidade. As cerimónias e festas religiosas e as imagens representativas dos mistérios da fé e dos santos de devoção mais venerados eram o meio de adoutrinamento mais utilizado. 

Por esse motivo, a imaginária popular desta época possui ainda a singeleza e o carácter naturalista que lhe permite ser compreendida pelas populações a que se destina. Ao nível da assistência e da saúde, tanto a Igreja como a população desempenharam um papel fundamental. 

Em 1427 os batalhenses mais destacados associaram-se para dar lugar à instituição da Confraria do Hospital de Santa Maria da Vitória da Batalha, a mais antiga amostra conhecida de associativismo e solidariedade local e os seus propósitos, em benefício da comunidade, ficaram inscritos no “Livro do Compromisso”.

 

A peça que apresentamos esta semana é a escultura do apóstolo S. Pedro identificado através dos seus atributos: a chave (na mão direita) e o missal (na mão esquerda). Atribuída à escola de Filipe Odart, a peça já integrou uma exposição sobre o Maneirismo Português no Museu Machado Castro, em Coimbra. 

Pedro era natural da Galileia e pescador em Cafarnaum. Acompanhou Jesus em toda a sua vida pública até à agonia no monte das Oliveiras. Após a sua fuga da prisão, terá negado três vezes a Cristo, negação que fora profetizada por Jesus. 

Depois da paixão e morte de Jesus, permanece em Jerusalém e acaba por ser preso por ordem de Herodes, sendo depois libertado por um anjo.Tornou-se no primeiro bispo de Roma. Mais tarde, no tempo de Nero, terá sido preso e crucificado de cabeça para baixo, acabando por falecer. 

 

CONTEÚDOS ÁUDIO E VÍDEO

Tempos de Glória - áudio guia -soundcloud.com/user-703797746/museu-da-comunidade-concelhia-da-batalha-tempos-de-gloria-sao-pedro

Tempos de Glória - Língua Gestual Portuguesa - https://youtu.be/4lwprzjTP30