PEÇA DA SEMANA - VASO FUNERÁRIO

Data da notícia: 7, Abril 2021

PEÇA DA SEMANA - VASO FUNERÁRIO

Entre o Paleolítico inferior e a Idade do Ferro, existiram nesta região as primeiras comunidades. É na vitrine  dedicada às comunidades agro-pastoris que o MCCB exibe o vaso funerário que destacamos esta semana. A peça, em excelente estado de conservação, preserva marcas geométricas incisas, reveladoras do sentido estético da sua produção.

 

CONTEÚDOS ÁUDIO E VÍDEO:

Língua Gestual Portuguesa - https://youtu.be/2w5vP4ezpmo

Informação do audioguia - https://soundcloud.com/user-703797746/as-primeiras-comunidades-agro-pastorias-vaso-funerario

Entre o Paleolítico inferior e a Idade do Ferro, existiram nesta região as primeiras comunidades. Estabeleceram contactos livres com outros povos, até ao momento em que uma potência exterior, Roma, invadiu a Lusitânia.

A presença na Batalha da cultura material e espiritual do Homo sapiens evidencia-se durante o neolítico, nas necrópoles de Buraco dos Ossos, Buraco Roto e Forneco da Moira.

Foi no segundo e primeiro milénio a.C., que as comunidades agro-pastoris se desenvolveram em grupos itinerantes, de base familiar, constituídos por cerca de uma dezena de pessoas. O reforço dos laços de parentesco foi a condição essencial na coesão do grupo, indispensável ao êxito da economia agropecuária que, entretanto, floresceu.

Estes grupos humanos davam já grande importância aos rituais de enterramento, que são evidentes nas amostras dos seus vasos funerários.

É na área dedicada às primeiras comunidades, no MCCB, que se exibe o vaso funerário que destacamos esta semana. A peça tem uma forma ovalada e duas asas simétricas. Apresenta decoração geométrica incisa,  na parte superior O vaso terá sido cozido a baixas temperaturas.

A peça é oriunda da zona de Ourique - Alentejo, permitindo-nos uma compreensão do contexto funerário da Idade do Ferro que se estende a nível nacional.

Para além deste, destacam-se mais dois vasos em excelente estado de conservação, também eles de contexto nacional, e um fragmento de urna funerária oriundo do Concelho.

Conheça estas peças de perto, agora que o MCCB já tem as portas abertas ao público.

Relembramos que, até final do mês de junho de 2021, as entradas são gratuitas.

Esperamos por si.